Mayra Andrade, Russo Passapusso e Capicua são os convidados da semana da websérie “Ponte Aérea: Portugal – Brasil”

Mayra Andrade, Russo Passapusso e Capicua são os convidados da semana da websérie “Ponte Aérea: Portugal – Brasil”

Realizada pelo canal Papo de Música, com patrocínio da União Brasileira de Compositores e a Sociedade Portuguesa de Autores, programa celebra o acordo de reciprocidade entre a UBC e a SPA

“Eu percebia o quão a África alimentava o imaginário do brasileiro de um jeito muito ligado à ancestralidade, e pouco conectado com os tempos de hoje. E eu acho interessante que, muito através da música, essa nova geração esteja tendo uma curiosidade mais ampla, de querer ver o que é realmente esse continente fora os orixás”, contou a cantora cabo-verdiana Mayra Andrade, a artista mais aclamada da música lusófona contemporânea, durante gravação para a websérie “Ponte Aérea: Portugal – Brasil”. Realizada pelo canal Papo de Música, com apresentação da jornalista Fabiane Pereira, a série tem o patrocínio da União Brasileira de Compositores e da Sociedade Portuguesa de Autores. Esta semana, o projeto exibirá mais duas entrevistas inéditas, sendo uma com Mayra Andrade, no dia 17 de agosto, e a outra com Russo Passapusso, do BaianaSystem, e Capicua, uma das rappers mais importantes de Portugal.

Adriana Calcanhotto, Fafá de Belém, Ronaldo Bastos, Duda Beat, Tiago Nacarato e Ana Moura serão outros destaques da extensa programação que ainda está por vir. A iniciativa celebra o acordo de reciprocidade entre a UBC e a SPA e será exibida no Youtube durante os meses de agosto, setembro e outubro, trazendo grandes artistas dos dois países para uma troca cultural.

Cantora e compositora nascida em Cuba e crescida em Cabo Verde, a primeira convidada da semana é Mayra Andrade, que desde 2016 mora em Lisboa. Em entrevista com Fabiane Pereira, a artista falou sobre sua relação com o Brasil e sua arte. “A minha casa é Cabo Verde, mas o Brasil é a casa do lado. Tipo a casa da minha mãe e a casa do meu pai, mais ou menos isso (risos). Então eu senti uma necessidade grande de afirmar o meu som de uma forma que a tangente fosse menos próxima do Brasil para que não fosse sempre resumida como ‘uma espécie de música brasileira’.”

Mayra comentou ainda sobre o que ela pensa a respeito do papel da arte, que antes de mais nada, para ela é liberdade: “Liberdade de se poder abordar a história que reverbera. O que eu quero dizer é que eu não gosto de emitir um julgamento, um juízo de valor sobre o que é que um artista deve ou não contar no seu trabalho. Eu sempre contei a história do meu país, sempre falei da imigração, falei de política, falei do cotidiano, várias histórias que quando você mergulha você sai com um retrato bastante rico de uma origem, de um lugar. Tudo que está acontecendo no mundo e as transformações causadas por esses ‘parar’, tem me feito pensar muito nessa questão (qual o papel do artista hoje), de que forma que eu quero que uma frase reverbere por uma duração maior do que a frase em si. São questões filosóficas, mas também muito pessoais”.
Representantes da nova música popular brasileira e portuguesa, Russo Passapusso e Capicua fizeram uma dobradinha no programa que vai ao ar na quinta-feira. No bate-papo, também comandado por Fabiane, Capicua falou da sua relação com o Brasil. “Eu sou uma amante da língua portuguesa e tento consumir mais cultura lusófona do que anglo-saxonica, tento consumir mais música em português, cinema, televisão, tudo que eu vejo em língua portuguesa. E o Brasil é o maior país de língua portuguesa, tem uma produção cultural imensa. Meus pais já eram muito fãs de Chico Buarque, Caetano Veloso. Fui sempre acompanhando o que ia sendo feito no Brasil, no rap, na mpb, isso sem falar na literatura, nas séries. De fato eu sou apaixonado pelo Brasil, é um país de uma cultura extraordinária e de uma diversidade incomparável”, elogiou a artista, que possui parcerias com Emicida, Rael, Ricon Sapiencia, Karol Conká, Mallu Magalhães, entre outros.
Russo Passapusso, músico à frente do grupo BaianaSystem, contou de uma experiência interessante no país vizinho. “A gente muda direto o repertório. O Baiana tem como ficar mais rock ou mais samba duro kuduro ou a gente consegue ficar mais Jamaica, mais dub. E a gente vai mudando essas relações dependendo da região que a gente vai tocar. Teve uma vez que nós fomos tocar em Portugal e eu falei galera a gente está na praia, vamos tocar reggae, não vamos chegar com rock pesadão, fazendo aquela loucura, aquele barulho. Aí a gente tocou a primeira, a segunda, na terceira, que tinha uma pegada mais de tambor, com mais barulho, o show mudou de vez. Foi exatamente ali, que eu achava que não tinha trânsito, que a gente realmente tocou o público. Então a gente virou o show todo pra tocar tambor, botou a percussão na frente”, recordou o artista.
russo passapusso. salvador-ba foto márcio lima. revista continente
As transmissões dos episódios apresentados nas terças-feiras acontecem exclusivamente no canal ‘Papo de Música’, disponível através do link https://www.youtube.com/c/PapodeMusica. Já os programas das quintas-feiras são transmitidos simultaneamente no Papo de Música e no canal de YouTube da UBC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *